Quero mostrar que esta fase também pode e deve ser bonita, saudável, activa e vivida com muita felicidade!!...

terça-feira, 3 de novembro de 2009

80% dos alunos das universidades sénior estudou ou está a estudar informática.

A maioria dos alunos das Universidades Sénior de Portugal são mulheres, com idades entre 62 e 72 anos, e com um grande interesse por informática, disse à Lusa Luís Jacob, presidente da Rede de Universidades da Terceira Idade (Rutis).

"Entre os alunos das universidades seniores de todo o país, 80 por cento frequentaram já, ou estão Frequentar um, aulas de informática e 40 por cento o usam e-mail REGULARMENTE", adiantou o responsável, antecipando uma caracterização dos 20 mil estudantes das 140 Universidades Séniores portuguesas que vai ser divulgada no Congresso Mundial de Envelhecimento Activo, que se realiza quinta e sexta-feira, em Santarém.
O que nos procuram os Computadores e Seniores, diz Luís Jacob, "igual ao que os jovens procuram: informação e comunicação".
O estudo de caracterização dos frequentadores das Universidades da Terceira Idade permitiu ainda saber que A maioria dos alunos tem entre 62 e 72 anos, que 75 por cento são mulheres e que 70 por cento são reformados.

Congresso Mundial de Envelhecimento Activo
É ao nível das habilitações literárias que há heterogeneidade mais: "Desde pessoas que tem a quarta classe até doutorados", esclarece Luís Jacob.
Numa altura em que uma população está a envelhecer cada vez mais, o Congresso Mundial de Envelhecimento Activo surge para mostrar que os seniores "Não se pueden encostar à sombra da bananeira", refere o responsável.
"Entre a idade da reforma, situação que se nos anos 62, e os 75 anos, que é quando começam a aparecer os verdadeiros sinais de velhice, há 13 anos em que as pessoas não pueden estar paradas", observa.
Por isso, a ideia do congresso é mostrar que tipo de participação os seniores ter pueden na vida activa eo que se pode fazer depois da reforma.

Uma rádio dedicada aos mais velhos Um dos exemplos Apresentados Congresso não virá do outro lado da fronteira: Margarita Garcia, presidente da União Democrática de Pensionistas e Reformados, vem falar do caso de Espanha, onde "tudo o que é política para a terceira idade tem de ser aprovado pelas associações de reformados e da Terceira Idade ", frisa Luís Jacob.

Em Portugal, alerta o presidente da Rutis, "não existe nenhuma associação do género", porque "ainda não temos espírito reivindicativo dos direitos dos idosos".
Apesar disso, os portugueses já vão tendão algumas iniciativas para os seniores.
Luís Jacob dá os exemplos da Rádio Sim, dedicada aos mais velhos e da rede Erasmus para estudantes seniores, que começou este ano, promovendo o Intercâmbio dos alunos entre vários Países.
O Congresso vai contar com uma participação de John Beard, da Organização Mundial de Saúde, de Colin Milner, presidente do Conselho Internacional de Envelhecimento Activo, de Edmundo Martinho, presidente do Instituto da Segurança Social, dos jornalistas Carlos Pinto Coelho e Laurinda Alves, e de Jorge Sampaio, Alto Representante da ONU para o Diálogo das Civilizações.

Sem comentários:

Enviar um comentário