Quero mostrar que esta fase também pode e deve ser bonita, saudável, activa e vivida com muita felicidade!!...

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

DISTÚRBIOS DO SONO NA TERCEIRA IDADE



Os problemas de sono são bastante comuns na população idosa. Em geral, as pessoas com mais idade necessitam de menos horas de sono (por volta de 5 horas), além de terem o sono mais superficial e fragmentado (dormindo várias vezes ao dia). Algumas das causas dos distúrbios do sono estão relacionadas a um estilo de vida sedentário, a problemas sociais, psicológicos ou por uso de medicamentos.
Dores crónicas de doenças como artrite, a necessidade de urinar com frequência, e estimulantes como café e álcool contribuem para a falta de sono. Além disso, condições neurológicas associadas ao envelhecimento, como a doença de Alzheimer, também podem causar problemas de sono. A população idosa é a mais acometida pelos distúrbios do sono. Além da insónia, existe também a sonolência diurna, ronco e apnéia do sono.
O ronco é a forma mais comum do organismo manifestar-se diante de uma dificuldade respiratória que ocorre durante o sono. É um ruído caracterizado pela vibração dos tecidos moles da garganta, principalmente, a úvula - “campainha”. Tem como uma das causas a flacidez muscular devido ao envelhecimento. O tratamento dos distúrbios do sono varia em função da gravidade e das necessidades de cada pessoa.

O melhor a fazer é o diagnóstico precoce das alterações do sono no idoso. Por merecerem cuidados especiais, eles podem apresentar outras doenças clínicas como depressão, demência, ansiedade as quais aumentam os riscos de tontura e quedas, mas, principalmente, pela perda na qualidade de vida.
Estima-se que os distúrbios do sono afectem em torno de 50% das pessoas com mais de 65 anos. Um grande número de idosos apresenta alterações na qualidade do sono, principalmente as dificuldades para adormecer, sono fragmentado e/ou superficial. Nos idosos não são raros os casos de inversão do dia pela noite (acordado à noite e sonolento de dia). Uma das primeiras alterações que podem indicar a iminência de distúrbios do sono é a alteração do horário de acordar (muito mais cedo na velhice).

Fonte "Ciência e Vida"

2 comentários:

  1. Muito obrigada... Sei que esse texto é antigo, mas me ajudou muito em um trabalho de escola de ultima hora!

    ResponderEliminar
  2. Digo o mesmo que a Priscila . :)

    ResponderEliminar