Quero mostrar que esta fase também pode e deve ser bonita, saudável, activa e vivida com muita felicidade!!...

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Gripe A- Cuidados a ter nas Instituições que recebem idosos.


Os responsáveis pelas instituições que acolhem pessoas idosas devem
assegurar a resposta às seguintes questões:
• Os prestadores de cuidados e o outro pessoal, estão devidamente informados sobre o que é a gripe pandémica (H1N1) 2009 e as suas principais formas de
transmissão?
• Estão familiarizados com as medidas de protecção e com as medidas
preventivas de disseminação da infecção? E sabem como implementar essas
medidas?
• Existe aconselhamento técnico para o pessoal e prestadores de cuidados de
saúde?
2. COMO REDUZIR O RISCO DE TRANSMISSÃO DA DOENÇA
2.1. Medidas gerais de higiene e de controlo ambiental
1 - Cumprimento das regras de etiqueta respiratória e lavagem correcta das
mãos
Assegurar que todas as pessoas que vivem e trabalham na Instituição estão
sensibilizadas para o cumprimento das regras de etiqueta respiratória (folheto anexo)
e a lavagem correcta das mãos (folheto anexo), a seguir descritas:
a) Cobrir a boca e o nariz com um lenço de papel descartável quando se assoar,
espirrar ou tossir. Não usar as mãos;
b) Na ausência de lenços de papel, usar o antebraço ou manga para proteger a
boca ou o nariz e nunca as mãos;
c) Se as mãos forem utilizadas inadvertidamente para cobrir a boca/nariz, laválas/
desinfectá-las de imediato;
d) Depositar os lenços de papel usados nos recipientes próprios para o lixo;
e) Lavar as mãos com água e sabão com frequência da seguinte forma:
• Molhe as mãos com água
• Aplique sabão suficiente para cobrir todas as superfícies das mãos
• Esfregue as palmas das mãos, uma na outra
• Palma direita sobre o dorso esquerdo com os dedos entrelaçados e viceversa
• Palma com palma com os dedos entrelaçados
• Parte de trás dos dedos nas palmas opostas com os dedos entrelaçados
• Esfregue o polegar esquerdo em sentido rotativo, entrelaçado na palma
direita e vice-versa
• Esfregue rotativamente para trás e para a frente os dedos da mão direita na
palma da mão esquerda e vice-versa
• Enxague as mãos com água
• Seque as mãos com toalhas de papel
• Utilize a toalha de papel para fechar a torneira se esta for de comando
manual
f) As mãos devem ser sempre lavadas nas seguintes circunstâncias:
• Antes e depois de todo o contacto com os residentes
• Depois do contacto com urina, fezes, sangue, vómito ou com objectos
potencialmente contaminados
• Depois de retirar as luvas
• Antes das refeições
• Antes de preparar, manipular ou servir alimentos e de alimentar os
residentes
• Depois de ir à casa de banho
• Depois de fazer as camas e de tratar da roupa
• Depois de espirrar, tossir, ou assoar-se
g) As instruções para a higiene das mãos devem estar afixadas e acessíveis aos
residentes e às visitas;
h) Na impossibilidade de lavar as mãos, desinfecte-as com uma solução antiséptica
de base alcoólica, particularmente depois de tossir ou espirrar ou após
contacto com secreções respiratórias ou objectos contaminados ou contacto com
doentes;
i) Não tocar com as mãos na cara (olhos, nariz, boca) se estas não estiverem
lavadas;
j) Não cuspir nem expectorar para o chão. Se houver necessidade de remover
secreções existentes na boca, deve ser utilizado um lenço descartável (secreções
da boca directamente para o lenço), a e colocar imediatamente no lixo após ser
usado.

2 – Distanciamento entre pessoas
Evitar o contacto dos residentes saudáveis com doentes que apresentem sintomas de
gripe, mantendo pelo menos a distância de um metro de pessoas doentes com
sintomas de gripe (afastamento entre camas e entre cadeiras);

3 – Concentração de residentes
Evitar a concentração de residentes em espaços não arejados, sempre que possível;
4 – Ventilação dos espaços
Promover a ventilação adequada, arejando frequentemente as salas, de forma a
assegurar a renovação do ar;
5 – Visitas
Evitar visitas desnecessárias a pessoas que estejam doentes;
6 – Beijos e abraços
Não cumprimentar as pessoas doentes com beijos ou abraços;
7 – Utilização de luvas descartáveis
Utilizar sempre luvas descartáveis na prestação de cuidados; esta medida não
substitui a lavagem das mãos;

2.2. Medidas de protecção individual perante um doente
A transmissão da gripe pode fazer-se por contacto directo, através de gotículas
contaminadas com o vírus, ou por via indirecta, através do contacto com superfícies
contaminadas.
Se houver um ou mais doentes na instituição, várias medidas devem ser tomadas para
evitar aquela transmissão:
1 - Respeitar as regras para a lavagem das mãos;
2 - Respeitar as regras de etiqueta respiratória;
3 – Limpeza das superfícies
Limpar frequentemente as superfícies (mesas, corrimãos, maçanetas de portas,
botões de elevador), várias vezes ao dia, com um produto de limpeza comum,
particularmente as superfícies mais utilizadas pelo doente, como mesas de cabeceira,
protecções das camas, telefones, campainhas, comandos de TV, puxadores das
portas, lavatórios e doseadores de medicação, entre outras;
4 – Limpeza dos equipamentos
Os equipamentos a utilizar no doente devem ser exclusivos para esse doente (p.ex.
aparelhos para medir a tensão arterial, termómetros, etc.). Se o uso de equipamento
comum for inevitável este deverá ser adequadamente limpo e desinfectado antes de
ser utilizado noutra pessoa;
5 – Roupa utilizada pelo doente
Não há cuidados especiais para a limpeza da roupa do doente (roupa de corpo, de
cama, toalhas, etc.); é suficiente que seja lavada na máquina de lavar com um
detergente doméstico e a secagem pode ser feita numa máquina de secar ou num
estendal ao ar.
Se a roupa estiver muito conspurcada com fezes ou coágulos sanguíneos, estes
deverão ser removidos previamente, utilizando luvas e papel higiénico e ser
despejados, no mais curto intervalo de tempo, na sanita (eventualmente transportados
numa arrastadeira ou equivalente, até à sanita). Nunca remover este tipo de materiais
orgânicos com jactos de água, devido aos salpicos que provocam. A roupa deverá ser
dobrada ou enrolada de modo a que a sua porção mais conspurcada fique o mais
internamente possível, e colocada na máquina de lavar roupa;

6 - Louça utilizada pelo doente
A louça utilizada pelo doente pode ser lavada na máquina de lavar com um detergente
doméstico. As mãos devem ser lavadas após a colocação da louça na máquina;

7- Utilização de máscaras
Não está provado que o uso de máscaras por pessoas saudáveis ofereça uma
protecção eficaz ou reduza o contágio de gripe, no caso de uma pandemia ou durante
a época de gripe sazonal.
No entanto, é aconselhado o uso de máscara aos:
• Prestadores de cuidados que contactam de forma próxima (distâncias iguais ou
inferiores a 1 metro) com pessoas com gripe ou suspeita de gripe.
• Aos doentes com gripe ou suspeita de gripe de forma a diminuir o risco de
contágio dos contactos próximos.
Como utilizar as máscaras correctamente:
• As máscaras devem ser colocadas sobre a boca e o nariz e atadas com
firmeza.
• Prenda os atilhos ou os elásticos a meio da cabeça e no pescoço.
• Ajuste a faixa flexível ao osso do nariz,
• Ajuste a máscara à face e sobre o queixo.
• Enquanto estiver a usar máscara, evite tocar-lhe com as mãos.
• Sempre que tocar numa máscara usada - por exemplo, para a retirar - deve
lavar as mãos com água e sabão ou desinfectá-las com uma solução alcoólica.
• Substitua as máscaras quando ficarem húmidas por outras limpas e secas.
• As máscaras devem ser utilizadas apenas uma vez.
Como retirar a máscara:
• Parta do princípio de que a parte da frente da máscara está contaminada.
• Desate ou parta os atilhos de baixo e só depois os de cima.
• Retire a máscara pegando-lhe unicamente pelos atilhos.
• Elimine a máscara colocando-a num saco de plástico, bem fechado. Deite-o no
lixo doméstico.
• Depois de retirar a máscara lave as mãos com água e sabão ou desinfecte-as
com uma solução anti-séptica de base alcoólica.
8 - Tratamento dos resíduos
Devem ser usadas luvas para lidar com os resíduos sólidos e as mãos devem ser
lavadas depois de retirar as luvas.

2.3. Vacinação
Deve ser garantido o cumprimento das recomendações da DGS para a gripe sazonal
emitidas através da circular informativa disponível no site da DGS www.dgs.pt). Estas
recomendações incluem a vacinação dos residentes nas instituições bem como a dos
funcionários e colaboradores, no âmbito da saúde ocupacional.
Deve ser garantido o cumprimento das recomendações da DGS para a gripe sazonal
emitidas através de Circular Informativa disponível no portal da DGS (www.dgs.pt).
Estas recomendações incluem a vacinação dos residentes nas instituições, bem como
a dos funcionários e colaboradores no âmbito da saúde ocupacional.

QUANDO E COMO RECORRER AOS SERVIÇOS DE SAÚDE
Face à suspeita de uma pessoa infectada com o vírus da Gripe pandémica
(H1N1)2009 ou face a um caso confirmado de doença que resida ou trabalhe na
instituição, deverá de imediato:
a) Contactar a Linha Saúde 24 — 808 24 24 24 onde poderá obter todas as
informações sobre os procedimentos a seguir e sobre as necessidades de
eventual isolamento do doente e a que serviço de saúde recorrer, se
necessário.
b) Aconselhamos a que esteja atento às informações da Direcção-Geral da Saúde
e do seu do microsite da Gripe em www.dgs.pt , assim como, aos órgãos de
Comunicação Social.

Fonte "Ministério da Saúde"

2 comentários:

  1. Aqui fica uma sugestão que pode ser útil para ter mais informação sobre a gripe A:
    https://sigarra.up.pt/fcnaup/noticias_geral.ver_noticia?P_NR=586

    (Já agora, excelente escolha de banda sonora!)

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigado pelo link pois nunca é demais os avisos e recomendações...

    ResponderEliminar