Quero mostrar que esta fase também pode e deve ser bonita, saudável, activa e vivida com muita felicidade!!...

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

A Terceira idade e a depressão- COMO AJUDAR A COMBATER

Quando o idoso começa a demonstrar irritabilidade, ansiedade, isolamento, cansaço fora do comum, alterações no sono e no apetite estes podem na verdade ser sintomas que nos ajudam a reconhecer que o idoso está a entrar num  estado de depressão . Se essa alteração se torna cada vez mais frequente é preciso estar alerta ex: contínuo estado de tristeza ou melancolia.
Constata-se que a incidência de depressão é maior, devido ao fato de que o idoso muitas vezes está exposto a uma conjuntura propícia aos estados depressivos, como o abandono, a baixa auto-estima, a falta de atividade, a vivência do luto e a doença.

Não é possível atribuir à depressão  um único factor, mas sabe-se que ela age tanto na mente e nos estados emocionais, quanto no corpo. No físico, a depressão desencadeia o desequilíbrio na liberação de substâncias como a endorfina e a serotonina, que actuam na sensação de prazer e bem-estar físico. Já na mente, os estados depressivos podem levar à perda de memória e influenciar na lucidez dos idosos. O emocional, por sua vez, é o território no qual a depressão primeiramente se instala e dá sinais de tristeza, inquietação, medo, perturbação e desespero.
O quadro depressivo, como já foi dito, pode ser reconhecido através de estados reincidentes que tomam conta do idoso, sendo comum que haja o incómodo por pensamentos depreciativos e negativos que ocupam de forma incessante a mente e os sentimentos dos mais velhos. É por isso que o sucesso na cura da doença, em muitos casos, advém em grande parte do tratamento do lado psíquico e emocional dos pacientes, responsável por desencadear muitos dos estados nocivos característicos da depressão.
Sabe-se que, em busca da cura da depressão, não há somente uma solução, mas um conjunto de práticas, medidas e posturas que podem ajudar de forma complementar e conjunta no tratamento da doença.

Uma delas é o acompanhamento da família, essencial neste momento para que o idoso não se sinta desamparado e evolua em seu quadro depressivo. Além do acompanhamento médico, a busca de tratamento psicológico também pode ajudar, investigando as causas do estado depressivo no paciente idoso e indicando-lhe meios de ultrapassar seus obstáculos internos. Outra alternativa é a actividade física, passeios, jogos, ocupar-se com trabalhos manuais, viajar, ler, fazer trabalho de voluntariado, etc. Estas situações renovam a disposição e a alegria dos mais velhos que, ao entrar em contato com a natureza ou fazer parte de um grupo de atividades, também contribuem para que eles reencontrem a beleza e o prazer pela vida.

4 comentários:

  1. Olá Paula,
    Obrigado desde ja por este fantastico blog dedicado aos nossos jovens de ontem, também admiro muito estes seres, pena que muita gente naos lhes d~e o seu devido valor, tenho muita pena de ja nao ter os meus avos, mas o meu marido ainda tem avos e uma bizavó com 98 anos, que é um doce, sempre que posso vou la ve-la para lhe dar uns mimos e ela fica maravilhada. sou seguidora dos seus blogues pois sou apaixonada por culinaria, adoro cozinhar e também decidi fazer um blog para colocar as minhas iguarias online, e este porque é um assunto de algum interesse para mim, nao so pelo facto de admirar os idosos mas também porque tenho neste momento um projecto em curso para construçao de um lar.
    Mais uma vez Obrigado pelo teu blog.
    Um beijinho
    Maguinha

    ResponderEliminar
  2. Oi sou a Ana Lucia de São Paulo,minha mãe esta com 77 anos e entrou em depressão após a morte do meu pai,faz um ano que corremos de um lado a outro para ajuda-la,as vezes confesso que perco a paciencia,mas a amo muito e logo javolto ao normal,ele tem crises de ansiedade e tenho que correr ao ps mais próximo quase todos os diamesta muito difícil o que faço se puder me ajudar meu email analudepaulo@hotmail.com obrigada desde j´s

    ResponderEliminar
  3. minha mae tambb ta com depressão profunda e muiito difiicil eu coro muiito nem sei mais o q fazer !

    ResponderEliminar
  4. meu pai tem depressão há mais de 30 anos. agora q minha mãe morreu ele virou praticamente um fantasma. não come, está magérrimo, está mais agressivo ainda (com palavras) q antes (ele é orgulhoso e machão), só vê tv o dia todo, só fala de coisas tristes, só vê programas de desgraças, e tem uma expressão de medo o tempo todo.
    eu acho q não há mto o q fazer.

    ele tem 82 anos e sempre foi mimado pela minha mãe. sendo assim nunca aprendeu a cuidar dele.
    como ele é agressivo, ninguém está a fim de ficar com ele por mto tempo. ele jamais iria a um psicólogo (ele nunca tem nada).

    estou achando q ele não tem mto tempo de vida por conta da fraqueza q acho q tomará conta dele.

    ResponderEliminar