Quero mostrar que esta fase também pode e deve ser bonita, saudável, activa e vivida com muita felicidade!!...

quinta-feira, 31 de março de 2011

Vamos lá mudar estes números!!!

Idosos portugueses têm menos esperança de vida saudável


Portugal tem mais idosos e mais doentes do que Espanha e a esperança de vida saudável aos 65 anos é significativamente superior no país vizinho, revela um estudo comparativo feito pelos institutos de estatística dos países ibéricos.
Enquanto as mulheres e os homens espanhóis têm, aos 65 anos, uma média de 9,8 e 8,6 anos de vida saudável pela frente, nos portugueses essa esperança não vai além dos 6,6 anos e 5,4 anos respetivamente.
A comparação faz parte de «A Península Ibérica em Números/La Península Ibérica en Cifras», publicação da responsabilidade dos Institutos Nacionais de Estatística de Espanha e de Portugal, correspondente a 2010.

Fonte " Lusa"

É urgente começarmos a mudar de mentalidade e modo de vida. Praticar mais exercicio físico, ter uma alimentação saudável, ingerir mais água diariamente..podem ajudar a mudar estes números. Lembre-se que tudo está nas nossas mãos, basta querermos e termos força de vontade..

terça-feira, 22 de março de 2011

Cuidar de alguém com incontinência

A incontinência urinária é uma patologia que afeta milhares de pessoas em todo o mundo e constitui-se como um dos maiores entraves à realização das tarefas mais básicas do dia-a-dia.
Saiba como cuidar de uma pessoa com incontinência.

A forma como cuida de alguém que sofre de incontinência está relacionada com a forma como lida com ela e como a incentiva. Conheça os cuidados principais que pode ter com alguém que sofre de incontinência urinária. Dos principais, destacam-se os seguintes:


Monitorizar a ingestão de líquidos: É necessário encontrar um ponto de equilíbrio na quantidade de liquídos que um indivíduo ingere. Os líquidos em excesso vão fazer com que ele se desloque várias vezes à casa de banho/banheiro; a ingestão de poucos liquídos pode tornar a urina mais concentrada e prejudicar a bexiga ao torná-la menos ativa. Deve conversar com o seu médico antes de fazer qualquer mudança significativa na ingestão de liquídos.

Prestar atenção à alimentação: Existem alimentos e bebidas que podem agravar a incontinência, como é o caso das bebidas alcoólicas, água com gás, cafeína e os alimentos ricos em ácidos. Deve procurar seguir uma alimentação rica em fibras e hidratos de carbono.

Utilizar roupas íntimas absorventes: A utilização de roupas intímas absorventes é muito importante, pois protege um indivíduo em caso de alguma fuga urinária e mantém-o sempre seco e confortável.

Lidar com distúrbios emocionais: A incontinência pode causar num indivíduo vários distúrbios emocionais, inclusivé, pode conduzir à sua depressão. Dessa forma, e para que tal não aconteça, deve desdramatizar a situação e falar com o incontinente de uma forma clara e compreensiva. Essa é a melhor maneira de lidar com a situação e vai ajudar o incontinente a perceber que a sua vida não precisa de mudar radicalmente.


Algumas dicas práticas para lidar com a incontinência

Para a maioria das pessoas, ir à casa de banho é uma rotina que faz parte do seu dia-a-dia – e é algo que não se repara. No entanto, no caso de um idoso, ele pode querer usar a casa de banho e não ser capaz de o fazer. Conheça algumas dicas:

Certifique-se que a pessoa que está ao seu cuidado sabe onde se encontra a casa de banho – um sinal na porta pode ajudar imenso;

Confirme que o acesso à casa de banho está desimpedido e que não existem móveis ou tapetes ao longo do caminho que possam atrapalhar os movimentos do idoso;

Deixe a porta da casa de banho aberta quando não estiver a utilizá-la. Se estiver fechada, o idoso pode pensar que está ocupada;

Assegure-se que a casa de banho é fácil de ser utilizada. Considere a possibilidade de instalar corrimões ao longo da casa de banho para dotá-la de funcionalidade;

Certifique-se de que as roupas do idoso são fáceis de ser retiradas e desabotoadas. Tenha em atenção que, para um idoso, o velcro é mais fácil de ser gerido que os botões e zípers;

Se a tarefa de ir à casa de baho se revelar impossível, a utilização de um urinol pode ser a resposta mais adequada.

Ajudas disponíveis para lidar com a incontinência

Poderá chegar a altura em que o idoso que está ao seu cuidado não consegue utilizar a casa de banho. Nesses casos, é necessário intervir e lidar com as respetivas consequências. Há maneiras próprias de ajudar um idoso a sentir-se mais confortável e vários produtos disponíveis para lidar com a incontinência, como por exemplo:

Roupa de cama à prova de água: Os colchões são muito dificeis de limpar e, como tal, devem ser protegidos com uma cobertura à prova de água. Em termos de absorção esta é uma das medidas mais eficazes e permite que o idoso se mantenha sempre seco. Deve também certificar-se que a pele do idoso não entra em contacto com a proteção do colchão, uma vez que isso pode provocar feridas.

Lençóis absorventes: Existem lençóis especiais absorventes que podem ser utilizados numa cama ou sofá e permitem que um idoso se sente ou deite sempre numa superfície seca, maximizando o seu conforto.

Absorventes higiénicos e calças incontinentes: Os absorventes higiénicos e as calças incontinentes assemelham-se às fraldas e podem ser utilizadas de dia ou de noite. Têm a tarefa de manter a pele de um idoso seca e, ao mesmo tempo, são muito absorventes.


A incontinência e a higiéne pessoal

Se o idoso que está ao seu cuidado sofrer algum acidente urinário é importante lidar com isso o mais depressa possível, uma vez que isso pode ser bastante desconfortável e pode trazer cheiros desagradáveis. A humidade também poderá causar feridas na pele do idoso. Eis o que pode fazer:

Se uma pessoa idosa sofrer um acidente urinário, deve limpar a respetiva área com um pano húmido embebido em água quente. Certifique-se que a área fica seca antes de vestir novas roupas;

Limpe todas as roupas sujas imediatamente. É geralmente boa ideia deixar as roupas numa bacia com detergente para ficarem corretamente desinfetadas;

Ao deitar fora os absorventes utilizados, faça-o de uma forma higiénica e confirme se os sacos estão bem selados.

A incontinência é um problema infeliz e embaraçoso para muitos idosos. Ela mostra que o corpo pode não funcionar da maneira mais adequada e que é necessário lidar com essa situaçãode forma eficiente e digna para não causar nenhum sofrimento suplementar.
Infelizmente, a incontinência urinária não é necessariamente tratável nos idosos. Os mais jovens, que sofrem de incontinência, podem fazer uma série de exercícios para fortalecer os músculos pélvicos ou reforçar o controlo da bexiga, mas os idosos não o conseguem fazer. Para eles, existe medicação específica para estancar o problema, no entanto, a sua utilização não é aconselhável para os diabéticos, pois pode piorar o seu estado de saúde. No fundo, é uma parte natural do envelhecimento e deve ser aceite como tal.
A incontinência é um problema para muitos membros da população idosa porque é o resultado do enfraquecimento do corpo. Trata-se de uma questão muito particular e está dependente da forma como o idoso lida com isso, sem se sentir humilhado ou envergonhado.

Algumas dicas para prevenir o aparecimento da incontinência urináriaExistem formas de manter a bexiga saudável e de ajudar a minimizar as hipóteses de vir a sofrer de incontinência urinária. Conheça algumas das dicas principais:

Deve beber 6 a 8 copos de líquidos por dia e assim encontrar o seu ponto de equilíbrio entre o que ingere e as vezes que se desloca à casa de banho/banheiro. Deve fazê-lo, especialmente se fizer exercício físico, para manter os níveis de hidratação constantes;

Deve evitar, tanto quanto possível, bebidas alcoólicas e alimentos com cafeína;

Durante um dia deve urinar, no máximo, de 3 em 3 horas. Tenha em atenção que levantar-se a meio da noite para urinar é normal, mas mais de duas vezes já não o é;

Quando vai à casa de banho para fazer as suas necessidades, não deve fazer força ao esvaziar a bexiga. As mulheres que têm uma “bexiga descaída” devem aguardar 3 a 5 segundos depois da primeira paragem da micção e, em seguida, devem tentar esvaziar a bexiga mais um pouco.

Opte por realizar exercício físico com regularidade, de modo a manter o seu peso constante. É também aconselhável que ingira sempre algo quente pela manhã para que o seu trânsito intestinal seja mais fluído;

Deve deixar de fumar, pois o fumo aumenta o risco de cancro na bexiga e a tosse de fumador crónico pode exercer excesso de pressão sobre a bexiga.

Fonte : http://cuidamos.com/

quinta-feira, 10 de março de 2011

Consulta masculina: antes que seja tarde!

Como já deve saber mais vale prevenir do que remediar. Porque não fazer de tempos a tempos uma consulta geral??

Veja o que não pode faltar no atendimento médico para garantir a boa saúde.

Ginecologista

O ginecologista não trata apenas do órgão sexual feminino. Ele também é importante na saúde da mulher como um todo. As consultas podem detectar inúmeros problemas que vão além da libido e isso é possível, especialmente, pelo facto das visitas ao médico serem constantes. Já com os homens, o mesmo não acontece.
Não existe uma especialidade médica para o homem equivalente ao ginecologista para a mulher. O urologista, por exemplo, costuma ser procurado quando existem problemas pontuais relacionadas com a próstata, em vez das consultas periódicas de carácter preventivo. Outros especialistas também devem ser requisitados pontualmente, de forma a serem feitos chekups regulares. O médico pode fazer uma avaliação mais ampla e, assim, detectar com antecedência possíveis problemas.

O primeiro passo é ter uma boa conversa com o médico. A primeira avaliação clínica deve ser cuidadosa e verificar questões genéricas como vacinação, histórico de procedimentos cirúrgicos, doenças prévias, alimentação e qualidade do sono, hábitos desportistas, etc.
O histórico familiar de doença é outra peça fundamental. Muitas doenças têm o risco aumentado quando há histórico de familiares, especialmente em parentes de primeiro grau. Hipertensão e cancro são dois problemas que requerem atenção, pois costumam ter uma componente hereditária.

Circunferência abdominal

O simples acto de medir a circunferência abdominal do homem ajuda a identificar o risco de algumas doenças. Quando ela é igual ou superior a 102 centímetros, o paciente está mais sujeito a desenvolver síndrome metabólica, que pode se manifestar com diabetes, hipertensão arterial e colesterol alto, entre outras complicações.
Excesso de peso e obesidade são potenciais geradores de problemas como o infarte e acidente vascular cerebral (AVC). O excesso de peso pode desencadear ou agravar apneia do sono, o que pode levar a problemas sexuais.
Além de medir a circunferência abdominal, o médicos costumam medir a frequência cardíaca, escutar o coração e os pulmões. O peso, a altura e índice de massa corporal, bem como a medida da pressão arterial são indicadores essenciais.

Avaliação do metabolismo

Um exame de sangue simples é suficiente para verificar como está o metabolismo masculino. Ácido úrico, colesterol, triglicéridos e glicemia são fundamentais e precisam ser avaliados de forma rotineira.
Alterações nestes indicadores podem ser sinal de alerta para problemas como má alimentação ou disfunção da glândula tiróide. Neste último caso, a doença pode comprometer o funcionamento de diversos órgãos e acelerar o ganho de peso.

Próstata

É fundamental que os homens façam acompanhamento da próstata a partir dos 40 anos. O cancro da próstata é um dos principais tumores masculinos. O exame de toque é o mais eficiente para detectá-lo. Pelo toque, o médico consegue detectar pequenas alterações na anatomia da próstata que podem indicar o surgimento de um tumor. Existem outros indicadores, como o PSA, mas podem não ser tão rigorosos nem tão rápidos na indicação da doença.
A rapidez no diagnóstico é fundamental para que se inicie o tratamento antes do tumor se agravar. Quanto mais avança, maior o risco da cirurgia para retirá-lo. Disfunção eréctil e incontinência urinária estão entre as possíveis sequelas do procedimento cirúrgico.

Doenças sexuais e libido

Caso o paciente tenha menos de 40 anos, também é importante uma avaliação urológica. O médico deverá avaliar questões relativas à libido e alertar para doenças sexualmente transmissíveis. A própria limpeza correcta do pénis é um tema a ser abordado, visto que a higiene inadequada é um dos principais motivos para tumores no órgão sexual.

Fonte "Idade Maior"